Método adotado segue normas e carga horária preconizados pela Conselho Nacional de Educação (CNE), Ministérios da Saúde e da Educação, da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais

A Prefeitura de Manga, através da Secretaria Municipal de Educação (SME),  não tem medido esforços para disponibilizar aos alunos da rede municipal atividades escolares para realizarem em casa, com auxílio dos pais, durante a pandemia da Covid-19. O método teve início no último dia 22 de abril e atende as diretrizes do Conselho Nacional de Educação (CNE), dos Ministérios da Saúde e da Educação, da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) e dos decretos municipais, como forma legal de compensação de carga horária.

As atividades são entregues mensalmente e seguem um cronograma que foi apresentado aos representantes do Conselho Municipal de Fiscalização e Controle Social do Fundeb, Conselho Municipal de Educação, Sindicato dos Servidores, Conselho de Alimentação Escolar, professores e gestores escolares do município. Na mesma data da entrega das atividades, os professores recebem as atividades do bloco anterior para correção.

Além das atividades escolares, a Prefeitura de Manga adquiriu aparelhos de transmissão do sinal de televisão para que os alunos da rede municipal e estadual tenham acesso ao programa “Se Liga na Educação”, no canal Rede Minas, desenvolvido pela SEE-MG.

Segundo a secretária municipal de Educação, o decreto municipal 20/2020 estabelece que os professores e alunos cumpram regime especial de compensação de carga horária enquanto durar a pandemia. Os professores que não possuem computadores em casa para elaborar as atividades, estão utilizando os das escolas e da SME.

“Todo esse planejamento escolar foi elaborado conforme a realidade do município e dos alunos e segue as normas do Currículo Referência de Minas Gerais e da Base Nacional Comum Curricular. Os pais são orientados a ajudarem seus filhos e os professores se colocam à disposição para esclarecimentos por meio de comunicação remota”, disse.

A secretária também ressalta que essa medida de propiciar atividades escolares não presenciais, vem sendo adotada por vários municípios do Brasil, como forma de garantir que os alunos cumpram a carga horária obrigatória de 800 horas e tenham acesso à educação mesmo na pandemia.

“Apesar de não ter a mesma eficácia das aulas presenciais, o município tem dado todo o suporte necessário aos alunos. Infelizmente não há previsão da volta às aulas, pois estamos aguardando a estabilidade do atual cenário epidemiológico para então planejarmos o retorno dos alunos, conforme orientações dos órgãos competentes. Enquanto isso, contamos com a compreensão e colaboração dos pais e alunos, na realização das atividades em casa”, enfatizou.

A professora, Luciana Pereira, salienta que o empenho de toda a equipe de professores do município tem sido fundamental para que a escola mantenha o vínculo com os pais e alunos durante a pandemia. “É muito importante e necessária essa interação, mesmo que não presencial. Dessa forma está sendo possível fazer com que os alunos não percam o ritmo dos estudos”, comentou.

Para Marilene Pereira, mãe de aluno, “a entrega das atividades escolares para fazer em casa foi um método plausível, devido a situação que o mundo todo se encontra. Foi uma alternativa viável a todos os pais e muito importante, pois o aprendizado continua através das atividades e tem participação efetiva dos pais”, disse.

Quem também aprova esse método, é a Marilane Ramos, mãe de aluno. Para ela, é uma forma de assegurar que os alunos tenham acesso aos conteúdos escolares, dentro do processo de ensino-aprendizado, e isso minimiza os prejuízos ocasionados com a suspensão das aulas presenciais durante a pandemia.

“É um trabalho coletivo que envolve professores, especialistas, diretores, pais e alunos. Cada um tem uma parcela de responsabilidade importante para o êxito das ações propostas”, comentou Marilane.

Data de publicação: 13/07/2020

Compartilhe!